Brasília


 Enviar matéria por e-mail

Dois presos por homicídio

Tamanho da Fonte     Ludmila Mendonça  Da redação do Mais Comunidade 28/09/2009 às 14:45

Dois homens, armados um com uma pistola 380 e o outro com um revólver 38, foram presos pela Polícia Militar, na manhã desta segunda-feira (28), em Itapoã. Eles são acusados de ter assassinado com vários disparos de arma de fogo André Luiz Veríssimo Rodrigues, 21 anos. O crime aconteceu por volta das 9h na Quadra 2, Conjunto E, de Itapoã.


[legenda=A vítima foi assassinada em Itapoã][credito=Foto: Brito]Segundo o delegado-chefe da 6ª DP (Paranoá), Miguel Lucena, os acusados confessaram na delegacia que teriam praticado o homicídio porque há duas semanas André teria tentado matá-los. Eles foram identificados pela polícia como Rodrigo Cipriano da Cruz, 18 anos, vulgo Topete, e Bruno Rogel de Souza,  20 anos, vulgo Tartaruga. Ambos tem uma extensa ficha criminal. Os acusados serão autuados por homicídio qualificado. Se condenados podem pegar de 12 a 30 anos de prisão.


O delegado conta que a Polícia Civil foi informada sobre a rixa entre os trio na semana passada e que, na última quinta-feira (24), eles teriam brigado e foram levados para a delegacia. Os policiais ouviram o grupo e teriam conversado com os acusados para que parassem de brigar e depois foram liberados. 


O delegado Miguel Lucena informou que a delegacia do Paranoá tem uma estatística de que do mês  de janeiro ao de agosto tiveram 17 homicídios no Paranoá e 18 em Itapoã. De acordo com ele, a delegacia tem um total de 100% de resolução dos homicídios na região. Ele ainda conta que durante  esses oito meses, 380 criminosos foram presos e 76 armas de fogo apreendidas.


A irmã da vítima, Lucimara Veríssimo, acredita que o crime tenha sido motivado por causa de um briga de gangues entre a Quadra 3 de Itapoã e a Quadra 28 do Paranoá. Segundo ela, populares telefonaram para a polícia e informam que tinha dois homens armados no local e os policiais não teriam ido verificar a informação. “Se a polícia tivesse ido no local da denúncia meu irmão ainda podia estar vivo. Essa região é muito perigosa, quase todos os dias acontece um crime aqui”, diz.


O posto da Polícia Militar fica a cerca de 200 metros de onde o crime ocorreu. De acordo com testemunhas, a polícia só apareceu no local 15 minutos após o ocorrido. “Quase que eles não conseguem efetuar a prisão dos acusados. porque eles fugiram após o crime em direção aos pinheirais que tem aqui na região”, conta uma testemunha que não quis se identificar.


Classificação Atual       ( 0 ) Dê a sua classificação: