Brasília


 Enviar matéria por e-mail

Caminhão da mulher completa 10 mil atendimentos

Tamanho da Fonte      Agência Brasília 11/07/2012 às 08:24

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, acompanhado da primeira-dama, Ilza Queiroz, visitou na manhã desta terça-feira (10) a Unidade Móvel de Saúde da Mulher, instalada na QN 10, no Riacho Fundo II, desde segunda-feira (9), em frente ao Restaurante Comunitário.

A unidade permanecerá no local até 20 de julho, com funcionamento de 8h as 12h e de 13h as 17h. As senhas são distribuídas no início de cada turno. Por dia, são agendadas 40 mamografias, 50 ultrassonografias e 40 exames de Papanicolau.

Esta é a oitava localidade atendida pelo Caminhão da Mulher, que já completa 10 mil exames, entre mamografias, ecografias e exames preventivos (Papanicolau). O balanço até agora é muito positivo. Em quatro meses de funcionamento, chegamos a 10 mil exames”, reforçou o governador. “Tiramos essa quantidade de pessoas das filas dos hospitais e demos a elas a oportunidade de fazer o exame perto de suas casas, sem demora, com tranquilidade. É uma iniciativa de êxito total”, concluiu.

O Riacho Fundo II é a oitava cidade do DF que o caminhão visita. Até a última cidade, Areal, a unidade tinha atendido 9.920 pacientes. Com os exames desta segunda-feira – 45 mamografias, 41 prevenções e 40 ecografias – o número passou de 10 mil.

O principal aspecto desta iniciativa é disponibilizar serviços de saúde para a população que tem mais dificuldade de acesso ao sistema público fixo”, explicou o secretário de Saúde em exercício, Elias Miziara, que destacou que os dois tipos de câncer que mais matam as mulheres no Brasil são o de mama e o de colo de útero, que podem ser detectados nos exames realizados no caminhão. “Assim, melhoramos a qualidade de vida da população feminina”, salientou.

A secretária da Mulher, Olgamir Amancia, analisou o caráter inclusivo da unidade. “Quando o governo cria um equipamento desses, está colocando um serviço essencial à disposição das mulheres, especialmente de camadas mais pobres. Muitas mulheres têm dificuldade de acesso às políticas públicas e ainda têm uma tripla jornada. As mulheres acabam deixando de cuidar de si para cuidar da família”, explicou.

Serviço itinerante

A Unidade Móvel de Saúde da Mulher já esteve em sete localidades: condomínio Por do Sol, em Ceilândia; Núcleo Rural Taquara, em Planaltina; Cidade Estrutural; Itapoã; Nova Colina, em Sobradinho; São Sebastião e Areal.

Para fazer a ecografia, a paciente precisa apresentar pedido do médico do centro de saúde. Para a mamografia é preciso ter a carteirinha do SUS e para o exame preventivo, basta procurar o caminhão, com documento de identidade. As pacientes que apresentarem alterações nos exames terão acompanhamento no centro de saúde ou no hospital de referência.

A auxiliar de limpeza Fabiana Alves, moradora do Riacho Fundo II, foi almoçar no restaurante comunitário na segunda-feira , viu o caminhão estacionado e voltou hoje para se consultar. “Já vim aqui hoje para fazer a prevenção e amanhã venho fazer uma ecografia”, disse. “É muito importante para nós esse tipo de serviço. Assim nos sentimos mais seguras e a nossa sade vai ficar em dia. As mulheres precisam muito. São muito sensíveis.”


Classificação Atual       ( 0 ) Dê a sua classificação: